Mukuiu para quem é de Mukuiu, Kolofé para quem é de Kolofé, Motumbá para quem é de Motumbá,

30/07/2013 19:58

Mukuiu para quem é de Mukuiu, Kolofé para quem é de Kolofé, Motumbá para quem é de Motumbá,

 

Irmãos e Irmãs, Filhos e Filhas

 

Boa Noite a todos,

 

Algumas vezes me pego pensando na historia de nossa religião, o quanto é importante a nossa historia e como as pessoas não dão o real valor a Tradição e a Familia Espiritual.

Na minha historia dentro da religião, sempre procurei conhecer o máximo possível e tentei sempre passar para os meus filhos e filhas o máximo possível de conhecimento. Alguns aprendem rápido, com respeito e entendem os ensinamentos de forma direta e proveitosa. Outros adquirem conhecimento apenas para poder dizer “eu sei, não precisa me dizer”. Estas situações repetem-se com frequência e eu, em minha “ignorância”, deixo a resposta a cargo do Plano Espiritual, mas eu me questiono: Qual será o entendimento destes filhos de DEUS quando eles vêm até mim e pedem a Benção, Mukuiu, Kolofé ou Motumbá? Será que eles sabem o significado deste pedido? Será que eles, mesmo depois de eu responder, eles entendem que, quando eles estão pedindo a benção para um sacerdote, independente de ser eu ou qualquer outro sacerdote de qualquer outra religião, eles está pedindo a benção do próprio ORIXÁ?

Bom, na minha formação sacerdotal, sempre me senti lisonjeado em pedir a benção aos mais velhos, sejam eles diretamente ligados a minha família espiritual ou não. Sinto-me até hoje, honrado em pedir a benção a todos os mais velhos no santo, pois se são mais velhos no santo do que eu têm mais conhecimento a agregar a este eterno aprendiz do que eu aos meus filhos e filhas.

Portanto irmãos, quando você aproximar-se de um irmão seu, mesmo que você também seja sacerdote peça a benção a ele, pois você não sabe se ele é mais velho ou mais novo que você no santo e, ele sendo mais velho, merece todo o respeito pela sua historia dentro da religião, independente de você saber ou não.

Nunca desrespeite um irmão seu no santo, sendo ele sacerdote ou não, pois somos todos irmãos numa mesma fé e, independente de qual a “Umbanda” que ele toque, respeitando ele, você estará respeitando a sua religião e aos mais velhos da sua religião.

Somos uma religião nova e temos muito o que crescer, mas necessitamos fundamentar alguns pormenores agora, para que sejamos sempre respeitados como religião. Ninguém impõe respeito e sim conquista. Não podemos conquistar respeito se não respeitamos nossas raízes e nossos mais velhos.

Era o que tinha a dizer. Lembro que este texto representa a minha opinião e não quero com este meu gesto criar polemica e sim abrir uma discussão, pois em outras religiões, já muito mais velhas, os mais velhos são respeitados como sendo os maiores conselheiros dos mais novos.

Como nas forças armadas, na mesma patente, tempo de casa é posto.