Desabafo II

04/02/2014 20:48

O Sacerdote de Umbanda é, ou deveria ser, o elo entre o plano espiritual, os médiuns e os consulentes. É, ou deveria ser,  a expressão máxima de respeito aos consulentes, corpo mediúnico e Plano espiritual.

Muitos(as) pretensos(as) Sacerdotes(Sacerdotisas), sem formação Sacerdotal, seja ela espiritual ou material, e sem hereditariedade umbandista,  estão "metendo" os pés pelas mãos e "renovando" de uma forma extremamente deturpada,  os nossos fundamentos religiosos. 

De acordo com o Dicionario Priberam on line:

·                    fundamentação | s. f., derivação de Fundamentar

·                     FUndamentar | Verbo Transitivo,

o    1 - Dar fundamento

o    2 estabelecer

o    3 provar

o   4 Alicerçar

 

Portanto, no meu ponto de vista, o significado de FUNDAMENTAR é bem claro e transparente, deixando ainda mais claro o item 04, que é o ato de ALICERÇAR toda a nossa pratica religiosa.

Sou contra a mudança? voces devem estar me perguntando.

Minha resposta: não! Apoio a mudança, mas algumas "coisas" devem permanecer inalteradas pois fazem parte de nossa historia e vem dando certo desde a fundação de nossa religião. 

A função de um sacerdote é saber explicar aos consulentes, curiosos e, até mesmo, aos nossos desafetos, o porque da utilização de certos elementos e paramentos e quais as suas funções. Qual a FUNDAMENTAÇÂO deste ou daquele elemento, deste ou daquele paramento, desta ou daquela imagem, deste ou daquele material, etc.... Essa é a função do Sacerdote, não mudar o que ele não compreende e não sabe explicar.

·         O Porque da Bebida Alcoolica nas Giras?

·         O Porque do Fumo?

·         O porque das velas e defumadores?

·         O Porque dos Atabaques?

·         O Porque dos Fios de Conta, ou Guias, Brajas, etc....

·         Porque o médium fulano, recebe a entidade X e o médium cicrano também recebe a entidade X?

Estas são questões que o SACERDOTE deve elucidar, sem medo, com 100% de segurança nas respostas. Lamento aos seguidores, médiuns e colaboradores de certos, ou melhor de errados sacerdotes ou sacerdotisas que, quando as entidades “baixam” nos seus centros, tendas, roças, etc..., não se utilizam de elementos vitais para o bom andamento dos trabalhos espirituais e a desculpa para os consulentes é sempre a mesma: EM nossa casa não se utiliza destes elementos, somos Umbanda BRANCA, como se existisse a umbanda Preta, Azul, Vermelha, etc...... Pois é, não se utiliza porque não se sabe o fundamento; Não se utiliza porque não sabem a importância que aqueles elementos tem para o trabalho espiritual. Lamento ainda mais pelos consulentes, que de muito bom coração, vão até estes locais e só conseguem alguma coisa após as “entidades” “conhecerem” os consulentes.(Entre Aspas mesmo porque quer dizer que os mediuns, em seu animismo, conhecerem os consulentes e seus problemas).

São nessas casas que começam a inventar, que o respeito deixa de existir e passa a haver a confusão mental dos médiuns, consulentes e principalmente do sacerdote ou sacerdotisa que, com o passar do tempo, sente-se o SUPRA SUMO da religião e ai, meu amigo(a), a queda é certa.

Em resumo: A função do Sacerdote não é inventar, é manter o que vem dando certo, Fundamentos, firmezas, assentamentos, etc.... Apoiar a mudança sempre, desde que não mecham em nosso fundamento.  Auxiliar, encaminhar e abençoar toda e qualquer pessoa que professe a fé umbandista, seja ela de que segmento for, tenha ela a cor que tiver, a classe social que tiver, a preferencia sexual que tiver pois, para DEUS somos todos seus filhos e, quem tem a missão sacerdotal, tem a obrigação de ser MEIO(medium), sempre meio, nunca inicio(DEUS, Orixás e as Entidades), nem fim(Consulente), apenas MEIO(Medium),  entre o plano material e o Espiritual, auxiliando a todos que nos procuram, a fortalecerem a sua fé e sua crença em uma vida de amor e plenitude.

À voce, irmão ou irmã, que sente-se inseguro(a), este, que aqui escreve dispõe-se a auxilialo(a) a achar seus caminhos, desde que nós nos entendamos, pois somos irmãos de sina e destino e experiência trocada é pratica válida.  

E à voce, irmão ou irmã, que esta lendo e entendendo esse texto com uma pontinha de rancor, raiva ou está dizendo que eu estou me achando, que DEUS apeide-se de voce, de seus filhos na fé e de seus feitos, pois voce está a beira da queda. 

 

MOTUMBA N´ZAMBI....

MOTUMBÁ AXÉ,